. CENTRO ACADÊMICO DE SERVIÇO SOCIAL> UFRN

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

NOTA DO CENTRO ACADÊMICO DE SERVIÇO SOCIAL DA UFRN SOBRE O PINHEIRINHO

O início de 2012 foi marcado pela luta dos moradores da ocupação do Pinheirinho em São José dos Campos, São Paulo. No madrugada do dia 21 de janeiro, milhares de pessoas expulsas de suas casas da forma violenta que se pode imaginar. A mando do governo do Estado, Geraldo Alckmin, e da prefeitura municipal, Eduardo Cury, a tropa de elite da polícia do estado efetuaram a desocupação do terreno que pertencia ao empresário Naji Nahas, o mesmo que há alguns anos foi preso por crimes de fraude e corrupção. Os moradores do Pinheirinho foram pegos de surpresa pelos mais de 2000 homens da tropa de elite que feriram o pacto federal que através de uma liminar impedia a desocupação por 15 dias.
 
No entanto, a resistência dos mais de 6.000 trabalhadores que há 6 anos ocupam o Pinheirinho, não foi suficiente para impedir que suas casas fossem tomadas. Foi uma madrugada violenta, a polícia utilizou bombas de efeito moral, gás de pimenta e armas de fogo em cima de crianças e idosos. Muitas pessoas foram feridas e algumas pessoas continuam desaparecidas até a presente data, a polícia de nega a investigar o paradeiro delas.
 
Dez dias depois da desocupação a situação do Pinheirinho continua a mesma, as famílias foram jogadas em abrigos cedidos pela prefeitura, homens, mulheres, crianças e idosos estão alojadas em tendas e ginásios que não oferecem a menos condição de sobrevivência, não existe tratamento médico e nem se quer alguma perspectiva de destino para elas.
 
O massacre de Pinheirinho tem culpados, eles não são os trabalhadores pobres que se apropriaram do terreno abandonado e hoje sofrem essa barbárie, o governo do PSDB se abre para a especulação imobiliária de São Paulo e ao mesmo tempo se exime da responsabilidade das políticas públicas de moradia e saúde.
 
Quando morar é um privilégio, ocupar é um dever, e é por esse entendimento que nós, do Centro Acadêmico de Serviço Social, nos juntamos as mais de 18 entidades políticas que representam a classe trabalhadora e os demais segmentos dos movimentos sociais e construímos um Ato de apoio e solidariedade ao Pinheirinho!
 
Mesmo distantes, estaremos sempre ao lado da classe trabalhadora, lutamos por uma educação laica, pública e de qualidade para que a juventude venha a ter melhores condições de vida, mas a nossa luta não pode estar separada da luta dos trabalhadores que são responsáveis pela manutenção da riqueza do estado. Não podemos esquecer que o governo petista, através da presidente Dilma tem obrigação de intervir nesse processo e resolver o abandono aos moradores do Pinheirinho, o terreno deve ser transformado em uma área de interesse social. Apenas declarações de apoio não vai mudar a situação dos desabrigados do Pinheirinho.
 
Reforçamos o convite para que tod@s compareçam ao Ato desta terça-feira, que será realizado a partir das 15:30h com concentração em frente ao MidWay.
 
SOMOS TOD@S PINHEIRINHO!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Nota dos sindicatos e movimentos sobre desocupação
Ação da PM é ilegal e revela truculência e covardia dos governos Alckmin e Cury, do PSDB



A ação da Polícia Militar do Estado de São Paulo, iniciada neste domingo, dia 22, na Ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos, é o retrato da irresponsabilidade, truculência e covardia dos governos Geraldo Alckmin (PSDB) e Eduardo Cury (PSDB). Um efetivo de dois mil homens invadiu de surpresa a ocupação às 6 horas da manhã e mantém a área sitiada.

A ordem para a desocupação por parte dos governos estadual e municipal do PSDB e da Justiça Estadual vai contra todos os fatos e negociações dos últimos dias que avançavam para a suspensão da ordem de despejo e regularização da área. Também vai contra um acordo assinado pela própria Selecta, dona do terreno, que propôs a suspensão da reintegração por 15 dias.

Por fim, a ação a mando da juíza Márcia Loureiro é flagrantemente ilegal. A medida está desacatando e descumprindo uma decisão federal. Uma liminar expedida pela Justiça Federal, por volta das 8 horas da manhã deste domingo, reafirmou a decisão obtida pelos moradores na sexta-feira, dia 20, contra o despejo.


Crédito da foto: Lucas Lacaz Ruiz/A13
Crédito da foto: Lucas Lacaz Ruiz/A13


Por ordem do Tribunal Regional Federal (TRF), o juiz plantonista Samuel de Castro Barbosa Melo determinou que a Polícia Militar e a Guarda Civil de São José dos Campos suspendam a ação imediatamente. Contudo, a PM se nega a cumprir a ordem, num claro desacato a uma determinação federal.

Um novo recurso foi ajuizado no Supremo Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, pelos advogados dos moradores, para barrar o despejo.


Repressão e resistência


Um operativo de guerra está sendo utilizado contra cerca de duas mil famílias pobres, que vivem há oito anos no terreno. Com armas de fogo, bombas de gás lacrimogêneo, gás pimenta, helicópteros e carros blindados, a Tropa de Choque avançou sobre a população não só da ocupação, como dos bairros vizinhos.

Há vários feridos e pessoas detidas. Informações dos moradores da ocupação falam em mortos e pessoas desaparecidas. A Guarda Municipal usou balas letais contra a população. O advogado do movimento, Antonio Donizete Ferreira, o Toninho, e o presidente do Sindicato dos Condutores, José Carlos de Souza, foram feridos com tiros de bala de borracha e bombas de gás lacrimogênio. Até crianças feridas foram atendidas em Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Os fornecimentos de água, energia elétrica e telefone foram cortados na região.

A população de bairros vizinhos está revoltada com a ação da polícia realizada durante todo o dia. Nos bairros Residencial União e Campo dos Alemães, a população se rebelou atirando pedras contra os soldados. Tentaram derrubar as tendas armadas para colocar os moradores do Pinheirinho. Chegaram a derrubar as grades do Centro Poliesportivo do Campo dos Alemães, local para onde estão sendo levados os moradores para fazer a triagem. Revoltada, a população também incendiou veículos.

Sindicatos, movimentos sociais e estudantis em solidariedade aos moradores do Pinheirinho ocuparam a Via Dutra, na altura do Km 154, por cerca de 1 hora e meia. Um protesto também foi organizado em frente à casa do prefeito Eduardo Cury (PSDB).

Houve ainda uma rebelião por parte das assistentes sociais convocadas pela Prefeitura. De 40 profissionais convocadas, apenas 18 se apresentaram, atrasando e inviabilizando a triagem e cadastramento de todas as famílias do Pinheirinho, que estão sem assistência social.


Solidariedade


A notícia dessa medida ilegal e violenta patrocinada pelos governos do PSDB, estadual e municipal, já se espalhou nacional e internacionalmente.
Nesse momento é preciso o apoio de toda a população. Agradecemos a solidariedade já demonstrada, principalmente pelos moradores vizinhos, sindicatos, movimentos sociais e estudantis. É preciso intensificar ainda mais as ações de solidariedade, com atos e manifestações em todo o país.

Uma grande manifestação está convocada para esta segunda-feira, dia 23, em São José dos Campos. Outros atos também já estão marcados em outras cidades e estados.

Exigimos do governador Geraldo Alckmin, chefe maior da Polícia Militar, e o prefeito Eduardo Cury que suspendam essa ação ilegal. Fazemos um apelo ainda à presidente Dilma que intervenha diretamente no conflito e impeça que mais vidas sejam alvo de violência e morte.

Entidades que assinam:

- Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região
- Sindicato dos Químicos de São José dos Campos e Região
- Sindicato dos Trabalhadores na Alimentação de S.J.Campos e Região
- Sindicato dos Petroleiros de S.J. Campos e Região
- Sindicato dos Condutores de S.J. Campos e Região
- Sindicato dos Vidreiros de S.J. Campos e Região
- Sindicato dos Servidores Municipais de S.J.Campos e Região
- Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil SJC e Região
- Sindicato dos Servidores Municipais de Jacareí
- Sindicato dos Correios do Vale do Paraíba e Litoral Norte - SINTECT-VP
- Associação Democrática dos Metalúrgicos Aposentados e Pensionistas - ADMAP
- Oposição Alternativa-APEOESP
- Movimentos dos Médicos
- CSP-CONLUTAS
- CUT
- Unidos para Lutar
- Assembleia Nacional dos Estudantes Livre – ANEL
- Organização de Jovens e Estudantes - OJE

Fonte: http://www.sindmetalsjc.org.br/imprensa/ultimas-noticias/592/nota+dos+sindicatos+e+movimentos+sobre+desocupacao.htm


Mais noticias relacionadas: http://cspconlutas.org.br; http://www.anelonline.org/

Estudantes marcam novo protesto contra aumento das passagens


81a1d88ebf2871973042d5e70646faca.jpg
Na última sexta-feira, protesto terminou em confusão
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem


Os estudantes da Região Metropolitana do Recife marcaram para esta segunda-feira (23) o segundo protesto contra o reajuste de 6,5% das passagens de ônibus no Grande Recife. A manifestação está marcada para as 8h da manhã, em frente ao Ginásio Pernambucano, na rua do Hospício, no bairro de Boa Vista, mesmo local onde ocorreu a passeata da sexta-feira (20).

No banner do protesto marcado para esta segunda, governador é chamado de ditador pelos manifestantes

O que deveria ter sido um protesto pacífico terminou em confusão e com dois estudantes presos na sexta (20). O Batalhão de Choque, utilizando gás de efeito moral e balas de borracha, entrou em conflito com os manifestantes, que foram recuados para dentro da Faculdade de Direito do Recife (FDR). Só com a intervenção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público é que os alunos conseguiram, depois de uma reunião com os dois orgãos, sair com segurança das dependências da FDR.

Os estudantes pretendem continuar com suas manifestações até que o preço das passagens seja reduzido.



quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

VAGA DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO–CASA DE SAÚDE SÃO LUCAS

Requisitos:
- Cursando Serviço Social, a partir do 3º período;
- Disponibilidade para o período da tarde.

Descrição Sumária:
Atender clientes e familiares e auxílio em trabalhos técnicos, burocráticos e administrativos.

Principais atividades:

- Visitar pacientes internados em apartamentos e enfermarias, com o objetivo de conhecer o nível de satisfação e as necessidades destes;
- Auxílio aos clientes e familiares sobre normas e conduta hospitalar para pacientes e acompanhantes, seus direitos sociais;
- Comunicar alta hospitalar do paciente aos seus familiares quando este encontra-se sozinho;
- Conversar com familiares de pacientes que foram a óbito, para orientá-los quanto ao sepultamento e o registro de óbito em cartório;
- Abordar familiares de pacientes quanto à possibilidade de autorização para doação de órgãos, quando possível;
- Conservação de todos os livros de registro de pacientes atendidos através do internamento, pronto socorro e pequenas cirurgias;
- Solicitar ambulância para o paciente, quando necessário.

Interessados enviar currículo para: rh@saolucasrn.com.br

Maiores Informações: (84)3220-5458

Atenciosamente,
Coordenação do Curso de Serviço Social - UFRN

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012


Moção: Não à reintegração! Em defesa do Pinheirinho! Chega de intimidação e repressão!   




À
Todas as entidades e movimentos

Companheiras(os),

Estamos vivendo momentos de apreensão desde a madrugada do dia 5/01 quando a polícia invadiu a Comunidade do Pinheirinho em São Jose dos Campos e iniciou um processo de intimidação preparando para os próximos dias uma mega operação de desocupação do terreno.

Precisamos rapidamente buscar ações para prestar solidariedade ao Pinheirinho. Neste sentido solicitamos que em caráter urgentíssimo sejam enviadas moções pelas entidades e movimentos. Segue abaixo um modelo de texto com os endereços para o envio das moções.


 


Não à reintegração! Em defesa do Pinheirinho! Chega de intimidação e repressão!


 


Na madrugada do dia (5/01) os moradores da Comunidade do Pinheirinho em São Jose dos Campos foram surpreendidos, por voltas da 5h30 da manhã. Uma mega operação policial foi implementada deixando a todos perplexos. Com a justificativa de que buscavam apreender drogas, armamentos e possíveis foragidos da justiça, a polícia impõe o pânico na comunidade.

Os moradores já vivem um clima de pânico desde que a Juíza Márcia Faria Mathey Loureiro determinou a reintegração de posse à massa falida da Selecta do megaespeculador Imobiliário, Naji Nahas. É no mínimo estranha a decisão da juíza já que a legalização da comunidade e a transformação do local em um bairro estavam encaminhadas e bem avançadas junto aos órgãos competentes, afinal cerca de duas mil famílias moram ali já há oito anos.

Apesar da justificativa oficial de busca e apreensão, o verdadeiro objetivo por trás desta mega operação policial realizada no Pinheirinho, é a intimidação da comunidade e a busca de justificativas para legitimar uma ação covarde de desocupação daquele terreno.

Repudiamos a decisão da juíza Márcia Faria Mathey Loureiro bem como esta atitude intimidatória dos órgãos de segurança pública. Solidarizamo-nos com a comunidade do Pinheirinho e exigimos do Governo Alckmin, responsável pela segurança pública no estado, que não autorize qualquer ação que tenha por objetivo a desocupação daquele terreno, hoje ocupado por trabalhadores e trabalhadoras que lutam por moradia. Assim, irá evitar o que pode vir a ser uma verdadeira tragédia.

Endereços para envio:
Governador de SP: galckmin@sp.gov.br
Prefeito de SJC: gabinete@sjc.sp.gov.br
Secretaria Geral da Presidência da República: sg@planalto.gov.br
Com cópia para: secretaria@cspconlutas.org.br


Fonte: Portal da CSP-Conlutas (http://cspconlutas.org.br/2012/01/mocao-nao-a-reintegracao-em-defesa-do-pinheirinho-chega-de-intimidacao-e-repressao/)



domingo, 8 de janeiro de 2012

NOVA GESTÃO DO CASS

Com 70% de renovação, conheça os novos coordenadores do Centro Acadêmico de Serviço Social, eleitos democraticamente pelos estudantes de Serviço Social nas eleições 2011:

Coordenação Geral
Luana Vanessa (2010.1)
Lília Daniella (2010.1)
Maria Luíza (2011.2)
Alexandra Cabral (2010.2)

Assuntos estudantis
Clara de Assis (2011.1)
Renata Sammara (2011.1)
Edileuza Soares (2011.1)
Paula Gabriela (2011.1)

Finanças
Jéssica Augusto (2010.1)
Rodrigo de Souza (2011.2)
Elidaiane Duarte (2011.2)

Formação profissional
Bruna Ryliane (2011.1)
Kaline Bezerra (2011.2)

Arte e Cultura
Samya Katiane (2010.1)
Maria Lúcia (2010.2)

Divulgação e Imprensa 
José Allan (2010.2)
John Lennon (2011.2)
Tácylla Danyelle (2011.2)

Nota de Agradecimento aos estudantes que elegeram a Chapa 1 para o CASS continuar no rumo da luta!

AGRADECIMENTO AOS ESTUDANTES  DE SERVIÇO SOCIAL DA UFRN

Estudantes de Serviço Social,

No dia 30/11 ocorreram as eleições para o Centro Acadêmico de Serviço Social (CASS). Há muito tempo os estudantes do nosso curso não vivenciavam um processo eleitoral tão rico do ponto de vista do nível de politização, além da compreensão sobre a importância de participar deste espaço democrático de escolha da direção do nosso CASS. Por isto, nós da CHAPA 1 “Se o presente é de luta, o futuro nos pertence!” sentimos orgulho de construir esse processo e, ainda mais, de termos vencido a eleição de forma incontestável, contando com a confiança e o voto de 107 dos 198 estudantes que votaram nas eleições.
 
Este resultado é reflexo do trabalho das últimas gestões do CASS, que proporcionou espaços democráticos e transformou nosso CA na entidade mais combativa e democrática da UFRN. Em toda a Universidade somos referência para os estudantes pela luta, coerência e trabalho de base que fizemos, cumprindo muitas vezes o papel do DCE, dirigido majoritariamente pelo PT, que tem sido instrumento de defesa do Governo Dilma e da Reitoria, ao invés dos estudantes.
 
Aliando essa experiência de independência, democracia e luta com a participação de novos ativistas do movimento estudantil (fizemos um chamado de unidade a todos os que tivessem acordo em manter o CASS nesse rumo), foi que conseguimos construir um grupo de 18 membros – entre estudantes independentes e militantes da Assembléia Nacional de Estudantes – Livre!/ANEL –, o que resultou numa chapa com 70% de renovação, reflexo do trabalho de base dos últimos anos e também da política da renovação de nossos dirigentes, já que não queremos que estes sejam eternizados à frente das entidades.
 
Mesmo com algumas pessoas rejeitando o nosso chamado à unidade, procuramos manter o alto nível político da campanha durante todo o processo. Ao contrário de alguns componentes da chapa de oposição – como os militantes da Corrente Proletária Estudantil/POR, que precisaram mentir, afirmando que o CASS não propiciava espaços democráticos e nem ouvia a base, como forma de conseguir alguma audiência entre os estudantes –, nós não construímos nossa campanha baseada em calúnias. Defendemos intransigentemente a continuidade do CASS como entidade independente de Governos, da Reitoria e empresários; com total autonomia frente aos partidos políticos e demais entidades do movimento estudantil; com auto-suficiência do ponto de vista financeiro; e que luta todos os dias tanto pelas demandas do nosso curso, quanto – articulado com as lutas gerais do movimento estudantil e da classe trabalhadora – por uma educação laica, pública, gratuita e de qualidade. Este foi o norte das últimas gestões do CASS, foi o que defendemos nas eleições e será o programa com o qual  atuaremos durante essa nova gestão que se inicia.
 
E os estudantes de Serviço Social entenderam nosso recado. Deram uma resposta clara, optando por manter o CASS  no caminho da independência, da luta e da democracia. E por isso que agora nos dirigimos a todos para agradecer os 107 votos e reafirmar nosso compromisso de defesa dos interesses do conjunto dos estudantes de Serviço Social (dos que votaram e dos que não votaram em nossa chapa). Seguimos na luta, proporcionando espaços democráticos para que todos os estudantes participem e se manifestem, respeitando a pluralidade política existente no nosso curso e organizando um  movimento estudantil combativo, pela educação que defendemos e pela sociedade sem opressão e exploração que tanto almejamos. Vamos à luta!

GESTÃO 2011/2012: SE O PRESENTE É DE LUTA, O FUTURO NOS PERTENCE!