. CENTRO ACADÊMICO DE SERVIÇO SOCIAL> UFRN

sábado, 26 de janeiro de 2013



Solidariedade aos trabalhadores da planta da GM de São José dos Campos ameaçados de demissão



Tomamos conhecimento de que a General Motors insiste em demitir no próximo dia 26 de janeiro cerca de 1.500 trabalhadores da planta localizada na cidade de São José dos Campos, interior do Estado de São Paulo, Brasil. 

Não vemos qualquer justificativa plausível para que a empresa promova essa demissão em massa. É de conhecimento público que a GM do Brasil continua batendo recordes de vendas e, a exemplo de outras montadoras de veículos instaladas no país, tem sido beneficiada amplamente com vastos incentivos fiscais por parte do governo Dilma. 

Se concretizadas, essas demissões significarão uma verdadeira tragédia social para a cidade eliminando a força de trabalho de operários de alta qualificação técnica e destruindo a única fonte de sustento de milhares de pais e mães de família. 

Além disso, existem dezenas de empresas que alimentam o setor automotivo e que dependem diretamente da GM para continuar em atividade. Estudos comprovam que uma demissão na montadora pode resultar na perda de mais 7 postos de trabalho (diretos e indiretos) no restante da cadeia produtiva. 

Por tudo isso, viemos através desta manifestar nossa total solidariedade à luta dos trabalhadores da GM e apelar junto à empresa para que suspenda as 1.500 demissões. É necessário que se considere as propostas apresentadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região no sentido de garantir a manutenção dos referidos postos de trabalho. 

Também nos dirigimos ao governo brasileiro, ao governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de São José dos Campos, para que intervenham junto à GM no sentido de impedir que essas demissões venham a ocorrer. É preciso que se exija da empresa responsabilidade social frente à cidade e o país. 

Centro Acadêmico de Serviço Social/UFRN
 Gestão 2012/2013: é tempo de mudança, é tempo de troca, é tempo de luta.

                                                                       Natal, Brasil, 26 de janeiro de 2013. 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013




Parabéns aos calouros!
O Centro Acadêmico de Serviço Social Gestão 2012/2013 "é tempo te mudança... é tempo de troca... é tempo de luta!" parabeniza @s aprovados no vestibular 2013 da UFRN, em especial @s futur@s assistentes sociais que estarão conosco nas lutas da vida. É com saudações de lutas, que desejamos as boas vindas e felicitamos @s nov@s estudantes por mais essa conquista que é merito de vocês! 


São elas e eles:


ALÍCIA FERNANDA SILVA PIMENTA
ALINE ALVES FERREIRA
ALINE CRISTINA SILVA
ALLISSON MARLON LOPES DE LIMA
AMANDA CAMILA DANTAS DE OLIVEIRA
AMANDA CARLA SILVA CAVALCANTI
ANA CLÁUDIA MUNIZ FORTALEZA
ANA FLÁVIA DOS SANTOS DUARTE
ANA PAULA DE SOUSA PEDROZA
ANNA CAROLINNE ALBUQUERQUE DE MEDEIROS.
ARIAN BÁRBARA DOS ANJOS PONTES
BÁRBARA DOS ANJOS PONTES
CASSIA VIRGÍNIA DE SOUZA
CLARA RAFAELA DE LIMA CAETANO
FERNANDA AVELINO BEZERRA SILVA
GABRIELY NASCIMENTO VARELA
GIULIA CORREIA OLIVEIRA NASCIMENTO
IANNYS MAYRA JANUÁRIO
IZABELA PATRICIA DA SILVA AVELINO SILVA
JEAN CLEDSON NUNES DE MEDEIROS
JÉSSICA DANTAS DE LIRA
KALIANE MARIA DA SILVA
KATIANE SANTOS DE LIMA
KIVIA TALLYTA COSTA DA SILVA
LETÍCIA GUALBERTO DOS SANTOS COSTA
LIVIA SANI PAULINO de meireles
KELLY BEZERRA DE OLIVEIRA IRELES
MARIA ANGÉLICA BARBOSA MARINHO

                             MARIA APARECIDA DO NASCIMENTO SILVA
MARIA HELENA DE ARAÚJO SANTOS
MARIA ISABEL BARBOSA GALVAO PEREIRA
MARIA LUANA ALVES DOS SANTOS FARIAS
MARIA PAULA DA SILVA MUNIZ
MARIANA DA SILVA BEZERRA
MARIA ROSÁLIA DA COSTA NETA
MARÍLIA OLIVEIRA DE MORAIS
NIELLY LIZANDRA SILVA DE OLIVEIRA
PALLOMA MONICK GARÇÃO FERREIRA
PAOLLA JESSICA DA CUNHA
PAULA RAFAELA ALENCAR DE SOUSA
SELLY LARYSSA DA FONSECA LINS
STEFANIE ALVES ANDRADE DE CARVALHO
SUZÉRICA HELENA DE MOURA MAFRA
TALITA ECLESIA PINTO DE LIMA
TALLES ATYHE CARDOSO DE LIMA
TATIANA DE LIMA SOUZA
THALYTA LAYS DA SILVA VIEIRA


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Como se não bastasse uma Administração que investe em uma segurança privatizada a serviço da repressão aos estudantes e suas manifestações, que persegue e tenta encarcerar estudantes que denunciam os desmandos existentes na Universidade, que agride dirigentes sindicais; agora nos deparamos com mais uma ação tirana e antidemocrática, que utiliza de um Conselho totalmente montado pela Reitoria, a serviço da aprovação dos projetos do Governo, sem qualquer discussão com os que realmente fazem o dia a dia da UFRN.

Nesta última quinta-feira (20/12/12), às vésperas do encerramento do semestre letivo, a Reitoria da UFRN praticou mais uma ação vergonhosa entre as tantas que já nos acostumamos a ver durante essa gestão, “aprovando” o decreto do Governo Dilma que abre caminho para privatização dos hospitais universitários (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH).

A Reitoria já havia tentando aprovar a EBSERH em duas outras ocasiões, sem promover qualquer debate com o conjunto dos estudantes, técnicos-administrativos e docentes, que se mobilizaram para exigir um plebiscito sobre o tema.

No entanto, estrategicamente, a reitora chamou um CONSUNI para o dia 20/12/12, mais uma vez com o objetivo de aprovar de qualquer forma a EBSERH. Assim, temendo que a força da mobilização dos estudantes, professores e funcionários impedissem os seus planos de ratificar a política de privatização do Governo Dilma, a Reitoria montou um verdadeiro Golpe, que incluiu a mudança de horário do CONSUNI das 15h para as 14h sem qualquer divulgação prévia à comunidade acadêmica. Além da mudança de horário, e com a intenção da não participação da comunidade acadêmica, reforçou a guarda nos arredores da reitoria impedindo o direito de Ir e Vir dos estudantes, e a organização de um bloco de Conselheiros indicados e submissos à Administração que chegaram ao local e trancaram a sala onde ocorreria o CONSUNI. Assim, a “votação” durou exatamente 48 segundos, na qual a Reitora consultou os Conselheiros e, valendo-se da unanimidade dos presentes, encerrou a sessão.

Este episódio demonstra mais uma vez que é preciso combater as práticas autoritárias da Reitoria da UFRN.

A EBSERH significa a mercantilização da saúde e da educação; a perda da autonomia universitária; a perda do tripé ensino-pesquisa-extensão; a porta dupla nos hospitais (dos que podem pagar e dos que não podem pagar). Significa um ataque ofensivo ao artigo 207 da Constituição Federal que trata da autonomia universitária (Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão). Com a EBSERH, os hospitais universitários deixarão de ser espaço de ensino para ser entregues aos ditames do cenário da sociabilidade do capital, reforçando assim a lógica empresarial uma vez que transfere o patrimônio das universidades públicas para empresas públicas de direito privado.

Mas a luta não termina aqui. Embora a reitora busque meios de desmobilizar o movimento, de descaracterizar a universidade Pública e avançar na privatização da educação, é preciso seguir denunciando essas práticas antidemocráticas, privatistas e organizando a comunidade universitária para resistir aos ataques que virão, fruto da aprovação da EBSERH. O CASS/UFRN se soma a essa luta e chama todos os estudantes do Serviço Social a reforçá-la.

Centro Acadêmico de Serviço Social
“É tempo de mudança, é tempo de troca, é tempo de luta”
Gestão 2012/2013.